quinta-feira, 20 de setembro de 2012

O homem Sikh


A visão de um Sikh nunca é algo trivial.
São homens altos, de pele morena, lindos olhos amendoados e o turbante feito com 7 metros de tecido chamam a atenção e nos fazem perdurar o olhar.

Eu nunca ha via visto um Sikh pessoalmente e confesso que minha unica referência era a do do filme 'O Paciente Inglês' interpretado por Naveen Andrews, com o personagem 'Kip'.

Os Sikh tem um orgulho em ser quem são e ostentam isso com uma naturalidade genuína. Os turbantes podem ser de cores e tecidos variados, mas o olhar de Rei é sempre o mesmo.


'Você jamais verá um Sikh pedindo esmolas'
 
'Nós temos saúde e força e iremos trabalhar e sobreviver com honra até o fim dos dias.

Um Sikh tem orgulho de sua estirpe e demonstra isso utilizando os símbolos máximo de sua fé - que se mistura à vida -
- o turbante - para diferenciá-los na multidão e fazê-los lembrar quem são;
- a pulseira de metal ''Kara''- como símbolo de sua fé e exemplo do seu Guru - uma forma circular para lembrar que o universo é infinito, e  toda vez que  levarem a mão à boca para comer ou beber, professar a sua fé lembrando de quem são e de que fé é tão importante quando o alimento;
- o punhal 'Kirpan' - parece-se com um, não dá pra descrever, mas os deixa sempre prontos para a batalhe e é o símbolo de sua força e prestatividade;
- pente- 'Kanga' - trazem sempre consigo, ou no turbante, ou no bolso, reafirma o compromisso com a sociedade Sikh;


- a roupa de baixo é sempre a mesma - mesmo modelo- para lembrar da humildade e origens, independente de poder aquisitivo ou traje de luxo.

Aprendi com esse povo sobre ter orgulho de quem somos e não se envergonhar de suas escolhas.
Um dos momentos de sabedoria Sikh eu pude presenciar em meio a um grupo de pessoas, quando percebi meu amigo Sikh silencioso e, na tentativa de fazê-lo interagir eu disse:''Kammaal e você? Por que não está conversando?" e ele respondeu:

''Se todos estão conversando, quem está ouvindo?''

São pequenas 'pérolas' como essas aliado ao comportamento educado e garboso que me fizeram encantar por esse povo.

A experiência de visitar um templo Sikh  é algo inesquecível.
O dourado impera nos detalhes e apesar de parecer sisudo, é tudo simples e limpo. Há sempre alguém lendo a escritura sagrada dos Sikhs o ''Guru Grand Sahib'', segundo eles a revelação categórica de Deus numa linguagem universal. 
É lindo, independente do idioma, é possível sentir na voz de quem lê o sagrado ali presente. Em qualquer horário, nas 24h sempre haverá alguem lendo e cantando as revelações.

Não tem como separar fé, religião e sociedade.

Para o Sikh tudo está interligado e é maravilhoso presenciar o sagrado em seus gestos, sorrisos e ações.


Por Luciana Arruda

3 comentários:

Luciana disse...

eu mesma comento, este homem é um espetáculo!

André Rocha Cândido disse...

Claro que discordo que este homem seja um espetáculo. Quanto ao texto, muito legal e importante por se tratar de um povo "ecumênico". O sikhismo deve sempre ser lembrado nesta época de intolerância. Beijão, Luciana.

Luciana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.